RENT / IN THE HEIGHTS / TEATRO MUSICAL

1972346_10203576485121852_262587555_n

O Teatro Musical é uma constante na minha vida. Sempre gosto de estar por dentro dos espetáculos e fazer o máximo de audições possível, para não me desconectar dessa ciência cênica que me ajuda tanto nas outras áreas onde atuo.

Não é nada simples trabalhar nos palcos de Teatro Musical. É preciso uma série de fatores que te façam merecer dignamente um papel numa peça de grande porte como esses espetáculos da Broadway. Tive a grande oportunidade de trabalhar em algumas grandes montagens dentro desse segmento, entre elas o RENT, que foi a primeira montagem gringa a ser feita nesses moldes por aqui.

Logo de cara percebi que cantar era muito mais do que simplesmente ser afinado ou ter voz boa. Cantar é dar um valor absoluto e sincero âs palavras, e isso é a interpretação que aprendi no Teatro Musical. Me fez dar outro valor a arte como um todo, vi que existia muito além. Nesse espetáculo eu cantava uma música que falava sobre Dignidade, e esse tema vem pautando minha carreira até hoje. O autor desse musical foi influenciado e influenciou muita gente, Jonathan Larson, um grande autor que faleceu poucos dias antes da estréia de seu espetáculo em N.Y. (Vale a pena pesquisar o musical Tick,Tick,Boom! Também de sua autoria) RENT foi influenciado por La Boheme, de Puccini e influenciou entre outros o musical IN THE HEIGHTS, de Lin Manuel_Miranda, espetáculo esse que tive a honra de protagonizar ao lado de um elenco vibrante e altamente técnico.

Trabalhei também em peças sobre literatura, infantis e tributos na maioria dos teatros de São Paulo, como ator, cantor ou músico e sempre tenho a honra de estar perto dos melhores, como Denise Stoklos e seu teatro Essencial, Tânia Nardini e seu alto nível de montagens Broadway , Cibelle Troiano e seu método orgânico, Inês Aranha com seus jogos cênicos e muitos professores de canto, dança… Os professores são inúmeros dentro e fora do Brasil.

Nas Alturas, nome traduzido do espetáculo In The Heights no Brasil, conta a história de imigrantes latinos que vivem numa comunidade sem muita perspectiva e são obrigados a repensarem se querem ou não continuar vivendo ali, naquelas condições. Esse espetáculo além de muito atual pela sua temática, também é inovador no sentido musical. É o primeiro musical com linguagem de RAP e Salsa, o que me deixou super feliz por ter sido escolhido para fazer. A curiosidade é que o autor de In The Heights também era o Protagonista do espetáculo nos E.U.A. e aqui no Brasil, eu tive a sorte de representar um papel que foi muito importante, tanto na vida do Lin Manuel_Miranda, como na minha.

São conexões da vida, rs…. Isso sem contar o Elenco, formado por pessoas com energia acima da média e que em nenhum momento ou adversidade deixava de fazer o seu melhor, pois era um elenco real. Tive sorte de estar presente em muitos “elencos reais.” Agradeço de coração a todos eles.

A convivência com artistas de outros segmentos no mesmo palco, luzes afinadas pra cada cena com precisão , dezenas de head sets funcionando em sincronia e uma marcação perfeita de cena fazem com que, no teatro Musical, os artistas tenham performances intensas, conjuntas, um somando ao outro e tudo sem nenhum tipo de ruído técnico. Isso sem contar a direção geral e cênica, outra área em que estou começando a atuar.

Deixo aqui minha indicação…se você gosta de arte, sempre deve estar atento a outros estilos e segmentos além do seu… na verdade, pra tudo, não só arte. Observar é importante, mas vivenciar tem um peso a mais.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.